“font-weight: 400;”>“Cada vez mais mercados vão entrar para a recorrência” – essa é uma tecla na qual nós, da Vindi, temos batido constantemente. Longe de ser a Empiricus, mas as nossas “previsões” são sempre embasadas em dados e movimento de mercado. Logo, entender (e apostar) nessa afirmação não fica difícil.

Pois bem, o maior banco da zona do euro ratificou nossas expectativas sobre expansão do mercado de assinatura. O Santander apostou em uma startup e lançou um app de gestão financeira por assinatura, o Superdigital.  Veja:

Voltado para pessoas físicas, o Superdigital funciona da seguinte forma: o usuário baixa o app pelo Google Play ou App Store e já pode começar a usar.

Com o aplicativo é possível movimentar, organizar, enviar e receber dinheiro, além de organizar os gastos e cartões, acompanhar faturas e saldos. Se o usuário quiser, poderá usar o Superdigital para fazer compras ou sacar valores em bancos 24h, o assinante só precisa colocar dinheiro na sua conta do app.

Ao colocar os valores, ele recebe um cartão de crédito da MasterCard e pronto, já pode usar. Também é possível usar o app para pagar contas, fazer recargas de celular e comprar online por meio de um cartão virtual, além de carregar o bilhete de transporte – opção apenas para usuários do app na cidade de São Paulo.

O aplicativo faz tudo o que um banco comum faz, mas online. E o usuário não precisa ter conta em banco ou cartão de crédito para usar o Superdigital – uma boa chance de ampliar o número de usuários que compram online ou não têm (e não querem ter) uma conta bancária.

Para ter acesso ao app o usuário paga pela assinatura. Existem dois planos:

Plano individual

  • Custo: R$ 7,90/mês
  • Disponibiliza um cartão físico
  • Disponibiliza até cinco cartões virtuais (eles podem ser usados nas compras online)

Plano familiar

  • Custo: R$11,90/mês
  • Disponibiliza até três cartões físicos
  • Disponibiliza até  10 cartões virtuais

Tarifas adicionais serão cobradas apenas para o caso de a transferência (TED ou DOC) ser feita para contas de bancos que não sejam o Santander. A assinatura é inferior às taxas cobradas pelos bancos e, antes de serem efetivado, o serviço pode ser testado.

O que diferencia o Superdigital da conta normal?

Uma conta bancária, como sabemos, envolve uma série de processo burocráticos, idas ao bancos e um atendimento que, nem sempre, é aprovado pelo cliente. Sem contar as filas enormes. O app oferece praticamente os mesmos serviços, só que faz uso da tecnologia para automatizar esse processo e oferecer uma boa experiência ao cliente.

Assim como outras gigantes que têm percebido oportunidades no segmento de assinaturas, o Santander percebeu esse movimento e investiu. E é por isso que – sempre embasados em dados – a Vindi continua apostando no modelo de recorrência e criando espaços de discussão sobre esse tema para ajudar a construir um mercado potencializador.

Vamos juntos?!

 

 

 

 

 

Você vai gostar também

7 Modelos de negócio que bombam vendendo na recorr... Qual a chave do sucesso? Não existe receita pronta, mas sem dúvidas as empresas que vendem na recorrência têm grandes chances de bombar. Inclusive, ex...
Como planejar (e manter) um clube de assinatura Como montar um clube de assinatura? Essa é uma pergunta que todo empreendedor que quer apostar no mercado de assinaturas faz. É claro que não exist...
Por que academias precisam ter independência ao es... Imagine a seguinte situação: João decidiu dar um importante passo e fazer um condicionamento físico. Ele realizou uma busca pela internet (e você esta...
Escolas de idiomas: como inovar diante de um merca... Cerca de 250 mil brasileiros foram em busca de um intercâmbio a fim de aprimorar ou aprender um novo idioma. Acontece que, antes de embarcar, essas pe...