Salesforce vai ser o primeiro SaaS a alcançar receita de US$10 bilhões por ano

Sobre o Salesforce

O Salesforce.com existe há 15 anos. Seu carro-chefe é o serviço de CRM em nuvem, atendendo a empresas de todos os portes. Já foi eleita a empresa mais inovadora e também uma das melhores para se trabalhar. Entre os seus clientes estão grandes empresas como a Coca-Cola e a GE. No final deste ano, as previsões indicam que sua receita total chegará a US$10 bilhões.

Por que essa marca é impressionante?

Para manter uma receita constante, uma empresa do modelo SaaS que trabalha com planos de assinaturas precisa usar o período de uma assinatura para cativar o cliente e garantir a renovação. Se o produto oferecido não for realmente bom, os clientes não vão renovar – e a receita do próximo período irá sofrer. Ou seja, todas as ações do Salesforce tem um forte impacto sobre o desempenho da empresa a longo prazo. É por isso que o modelo de negócios do Salesforce é voltado para oferecer o máximo de valor aos clientes.

Oferecendo valor

Para manter seus clientes satisfeitos e fiéis, o Salesforce oferece uma série de serviços adicionais aos seus clientes. Isso inclui, por exemplo, armazenamento em nuvem e aplicativos voltados para outros departamentos de uma empresa (como RH, Finanças e Marketing). Esse “pacote” reforça os laços do cliente com o Salesforce em muitos níveis, além do CRM em si. Portanto, fica bem mais difícil para esse cliente quebrar a parceria e buscar outro fornecedor.

Investimentos a longo prazo

O Salesforce gasta uma incrível quantia todos os anos com marketing e vendas. Apenas no último trimestre, foram mais de US$700 milhões. Porém, isso está previsto no modelo de negócios da empresa e pode ser considerado um investimento para o futuro. Tudo o que é gasto hoje com vendas e marketing vai se converter em assinaturas recorrentes nos próximos meses e anos – ou seja, em garantia de receita a longo prazo. Assim, a empresa mantém uma estabilidade maior.

Vantagem do modelo de assinaturas

A periodicidade é, ao mesmo tempo, um risco e uma grande vantagem do modelo de negócios baseado em assinaturas, que vemos frequentemente em empresas SaaS. Embora exista uma flutuação, também existe um período de estabilidade financeira – enquanto as assinaturas estão em vigor. Durante esse período, embora o dinheiro não esteja nas mãos (e nem na planilha de faturamento) do Salesforce, ele está, de certa forma, garantido.

Mais números impressionantes

Mas a marca de US$10 bilhões é apenas um exemplo do enorme potencial das empresas SaaS e do modelo de assinaturas. As previsões indicam que este ano a fatia de mercado para empresas SaaS vai chegar a um potencial de US$150 bilhões em receita. Em 2019, esse número vai chegar a US$200 bilhões. Basta que as empresas SaaS desenvolvam agressividade em vendas para abocanhar sua parte.

O modelo de assinaturas não é exclusivo das empresas SaaS (afinal, os jornais vendem assinaturas há décadas). Mas essas empresas podem crescer muito, e de maneira sustentável, ao adotar esse modelo em vez do modelo de vendas únicas. Basta ter o planejamento necessário e um pacote de benefícios que fidelize os clientes por longos períodos. Nesse sentido, o Salesforce é o melhor exemplo que poderíamos ter.

economia da recorrencia

Gostou desse artigo? Então curta a página da Vindi no Facebook para acompanhar mais notícias e artigos sobre negócios digitais, gestão e tecnologia voltada a empresas. 

A Equipe de redação Vindi é formada pela área de sucesso do cliente, marketing, financeira e vendas. Todo mundo contribui para que você fique informado sobre tudo em assinaturas, pagamento on-line e Saas.

Você vai gostar também

3 direcionamentos que definirão o crescimento de u... O ano de 2018 será um ano extremamente desafiador, mas três direcionamentos podem ajudar a definir o sucesso das empresas SaaS. Por isso eu elenquei e...
Sexlog, o serviço de assinaturas vai internacional... A Sexlog, maior rede social de sexo do Brasil, chegou à internet em 2004 com o objetivo de reunir pessoas interessadas simplesmente em sexo. Nesse tem...
Mercado de assinaturas: NYT lucra usando a recorrê... A gente já escreveu sobre como o jornal New York Times cresceu ao decidir que adotaria o modelo de assinaturas. Em três meses, o veículo havia consegu...
O crescimento de uma empresa SaaS e os maiores des... A empresa atinge um novo patamar e junto com ela chegam alguns desafios na gestão de produtos. Em junho deste ano, quando foi realizada a 6a. ediçã...