De fato, entramos numa nova era no varejo.

Enquanto a maioria dos negócios do mundo tentam se sustentar em modelos tradicionais de venda, algumas iniciativas inovadoras de alguns players dão um início de como o consumo vai se dar nos próximos anos. Amazon, Alibaba e outros cases, já testam essa, que promete ser a nova forma de fazer o supermercado. E aqui não estou falando de drones entregando pizzas ou produtos chineses sendo entregue em todo lugar do mundo. O negócio aqui é que estamos num momento de ruptura grande entre o tradicional e o novo.

O vídeo abaixo da Amazon Go, dá o a ideia do que está por vir.

O novo supermercado se apresenta para o varejo.

Filas. Ainda há espaço para isso? Você ainda pega filas para comprar a cesta básica?

Se fizermos um exercício rápido, para identificar quais são os maiores varejistas no Brasil, não será difícil lembrar alguns nomes que nos vêem à cabeça rapidamente. Mas será que eles estarão por aqui por muito tempo? Três informações para ilustrar esse novo momento:

  1. Fundo Península de Abílio Diniz investe na Wine.com;
  2. Alibaba vende em um dia, o que o e-Commerce brasileiro vende em um ano;
  3. Assista ao vídeo da Moccato no VTEXDay.

A gente vai ver uma revolução grande na forma como compramos a nossa cesta básica. Pegar filas em supermercados (ou hipermercados) terá um caminho parecido com aplicativos de delivery de comida e de táxis. Até porque não existe uma experiência fantástica ao fazer esse tipo de compra: você tem que ter disposição para ir até o mercado, pegar o carrinho de ferro, ter a paciência e o tempo necessário para pesquisar preço e, escolher o melhor produto. Ainda tem que pegar a fila no caixa, empacotar, levar para o carro e ainda ter que arrumar em casa, tudo aquilo que você comprou. Fácil né?

É só uma reflexão, mas para dar uma força na tese, visite agora o site da HomeRefil e procure entender.