Qual vai ser o futuro do trabalho diante da tecnologia e robôs?

A tecnologia nunca se transformou de forma tão rápida como vemos nos últimos anos. Com isso, muitos processos que antes precisavam do humano, passaram a ser executados (com perfeição) por máquinas. É, por isso, que muito se fala sobre o futuro do trabalho.

Será que em breve vamos nos tornar inúteis, sendo substituídos por robôs? Bem, não vamos mentir que muitas profissões devem sim serem automatizadas ou entrar para a história. Mas, não se desespere, pois se a previsão dos estudiosos estiver certa, esse papo de tecnologia e automação só vai nos ajudar.

A aposta é que principalmente a Inteligência Artificial seja uma grande aliada. Livrando-nos daquelas tarefas repetitivas e chatas e dando espaço para posições mais estratégicas.

Entretanto, existe outra importante discussão que precisamos olhar quando falamos sobre o futuro do trabalho; as novas gerações já não querem mais trabalhar em empresas com estruturas engessadas ou fazer atividades que os nossos antepassados faziam.

Sem dúvidas, esse é um tema que precisa ser discutido. É, por isso, que em nosso próximo evento – o Tomorrow – vamos ter uma palestra com essa pauta. Aliás, nesse encontro, a principal discussão é o futuro dos negócios, se quiser entender melhor a proposta, é só acessar esse site.

Pronto, agora sim vamos seguir.

Quarta revolução industrial

Que papo é esse e o que ele tem a ver com o futuro do trabalho? Então, precisamos dizer que a chamada quarta revolução industrial para muitos já está acontecendo.

Os teóricos acreditam que as mudanças que vão acontecer nos próximos anos devem transformar completamente a forma como vivemos, nos relacionamos e, inclusive, trabalhamos.

Em uma entrevista divulgada no site da BBC Brasil, o escritor Klaus Schwab explicou que “a quarta revolução industrial não é definida por um conjunto de tecnologias emergentes em si mesmas, mas a transição em direção a novos sistemas que foram construídos sobre a infraestrutura da revolução digital anterior”.

Para ele, o alcance, a velocidade e o impacto dos novos sistemas em nossa vida são os principais indicadores que essa “nova era” não é uma extensão da terceira revolução industrial.  

[bctt tweet=”O alcance, velocidade e impacto dos novos sistemas indicam o início da quarta revolução industrial- Klaus Schwab”  username=”vindibr”]

Com a automatização de muitas atividades pela Inteligência Artificial e a Internet das Coisas (IoT), a área da indústria e administração devem ser as mais impactadas. Até 2030, a consultoria McKinsey estima que mais de 15,7 milhões de trabalhadores serão afetados pela automação, podendo perder o emprego.

Mas, por outro lado, esses dados indicam que muitas pessoas poderão ficar livres de atividades repetitivas e migrar para profissões que demandem uma maior análise crítica.  Aliás, as próximas gerações vão desempenhar profissões que ainda nem existem.

Esse é o nosso próximo tópico.

Profissões do futuro

Antigamente, profissionais buscavam por uma empresa em que pudessem desenvolver sua carreira por toda a vida. Esse também era o funcionamento do mercado. Hoje, as pessoas buscam mais por realização e trocam de emprego com muito mais frequência.

O futuro do trabalho não está relacionado apenas às tecnologias que vão surgir. Mas também com a mentalidade das novas gerações.

A tendência é que, cada vez menos, as pessoas queiram ficar em companhias engessadas. Os próximos anos apontam para trabalhos mais flexíveis, aumento do regime home office ou ainda horários da jornada reduzida.

Já quando pensamos em profissões do futuro, como comentamos, a chance é que muitas das funções que serão desempenhadas ainda nem existam. Alguns exemplos são:

  • Mecânicos de carros autônomos
  • Operadores de drones
  • Coach para últimos dias de vida
  • Especialista em integração de humanos-tecnologia
  • Cirurgiões remoto
  • Especialista em simplicidade
  • Conselheiro de produtividade

Se você está preocupado com o o futuro do trabalho e quer saber se a sua profissão vai ser substituída por robôs, tem até um site – o Will Robots Take my Job? que calcula a probabilidade.

Tinbot e o futuro do trabalho

Você já ouvir falar do Tinbot? Ele é um robô simpático que pode trabalhar em diversas atividades, como recepcionista, assistente pessoal, intérprete etc.

Mas um dos seus cargos mais populares é gestor de projetos. Ele é capaz de avaliar o desempenho da equipe e até dar broncas – simpáticas – nos integrantes do time, apontando melhorias e erros que precisam ser corrigidos.

Criado pela DB1, uma empresa especializada em desenvolvimento de software, a programação do robô pode ser feita de três formas, sendo a mais simples por meio de emoticons.  

Aliás, o Tinbot vai ser um dos palestrantes do Tomorrow. Ele vai falar exatamente sobre o futuro do trabalho em parceria com Rogério Souza, da DB1. Esperamos você lá, hein?! 🙂

Qual é sua aposta sobre o futuro do trabalho? Compartilhe!

cta tomorrow

Jornalista com grande atuação em marketing digital. Escreve sobre tecnologia, empreendedorismo e viagens.

Você vai gostar também

Futuro da medicina: saiba o que vai transformar a ... Você consegue imaginar que, na década de 40, quando um paciente precisava fazer um hemograma - um dos exames mais comuns - o médico tinha que analisar...
5 Benefícios de investir em uma plataforma SaaS 19O modelo SaaS (Software as a Service) dá a oportunidade de empresas de todos os tipos e tamanhos a terem sucesso de uma forma escalável e com invest...
O panorama da economia digital em meio ao cenário ... Economia digital é um conceito atual, porém, ao que tudo indica, não está só de passagem. Estudos apontam que 22,5% da economia mundial estão diretame...
Como melhorar o seu site para aquisição de cliente... Ao criar um site, o que todo mundo espera é se destacar na internet e aumentar os lucros e desenvolvimento da empresa, seja ela física ou virtual. Cre...