Mercado de assinaturas: o poder dos colecionáveis

O ano de 2018 já começou e é comum que muitas pessoas já estejam fazendo planos para novos negócios. Este é o seu caso? Talvez este texto possa te ajudar com algumas dicas.

Um segmento relativamente pouco explorado no Brasil é o que engloba hobbies relacionados a diversos tipos de coleções. Praticamente toda pessoa coleciona algo ou já conheceu alguém que coleciona, mas você sabe como funciona esse mercado? Veremos neste texto alguns aspectos gerais destes segmentos.

Mercado variado

As coleções em geral incluem uma variedade enorme de itens que os colecionadores perseguem. Os itens mais colecionados são, em geral, os que envolvem antiguidades, artes ou itens ligados à literatura, música, cinema ou esportes.

Nas antiguidades os mais famosos são os selos e as moedas, mas podem ser citados também materiais mais recentes como as embalagens diversas, os cartões, fichas, calendários e documentos em geral.

Podemos dizer que o mercado das artes é, de certa, forma semelhante ao das antiguidades, com a diferença de que muitas vezes ele envolve também a venda de reproduções devido ao alto valor que as peças originais podem ter.

As coleções ligadas à cultura popular em geral constituem talvez um dos mercados mais variados dos colecionáveis, englobando desde as figurinhas, revistas em quadrinhos, discos de vinil, os action figures e até mesmo produtos de edições limitadas.

Potencial do mercado

As coleções têm uma mágica que nenhum outro mercado tem. A maior parte dos colecionáveis têm uma demanda totalmente espontânea por algo que não foi produzido necessariamente com a finalidade de ser guardado e estudado.

Muitas vezes colecionar é como jogar na loteria. Quantas vezes você não ouviu falar de algo aparentemente trivial que poderia ter ido para o lixo e que foi vendido por milhões?

Ao mesmo tempo, a maior parte dos colecionáveis pode ter valor acessível, fazendo com que a principal dificuldade esteja na cultura. Hoje o costume de colecionar é difundido bem menos no Brasil do que em outros países.

Apesar de ser um mercado difícil de mensurar, estima-se que diferentes tipos de coleções movimentem algumas dezenas de bilhões de dólares por ano no mundo.

As coleções têm um mercado em que os aficcionados estão frequentemente em busca de aumentar os seus acervos. Mas ao mesmo tempo, esse mercado é constantemente impulsionado por novidades como as figurinhas da copa, as moedas das olimpíadas ou promoções de filmes e séries em geral. Um mercado que é exemplo de inovação é o da cultura pop, o mercado geek se mostra cada vez mais forte neste sentido.

>> 12 Ideias para montar um negócio de assinaturas

Das dez maiores bilheterias do cinema de 2017, seis são de filmes ligados às franquias deste nicho. Isso cria uma legião de fãs disposta a adquirir, entre outros produtos, diversos tipos de colecionáveis.

Um mercado que tradicionalmente utiliza o apelo dos fãs para aumentar as vendas é o alimentício. Muitas marcas de comestíveis como doces, confeitos e fast food utilizam figurinhas ou miniaturas como formas de alavancar suas estratégias.

Oportunidades

As oportunidades de mercado são diversas, isso faz com que sejam variadas as estratégias de vendas, podendo variar desde a informalidade em redes sociais até a abertura de empresas com e-commerces ou lojas físicas.

Há ainda aqueles que conseguem desenvolver um modelo baseado em assinaturas para ter não apenas um maior engajamento dos clientes, mas também, maior previsibilidade para as receitas do negócio.

Além das vendas dos artigos de coleção em si, há muitas oportunidades de venda de acessórios como álbuns, materiais de proteção e publicações. No que tange os serviços, há ainda as possibilidades de leilões, associações e eventos. Talvez o exemplo mais conhecido atualmente seja o da Comic Con.

Além de ser um mercado potencialmente lucrativo, este tipo de segmento pode ser também para muitos, uma oportunidade de aprendizado. Talvez o caso mais famoso neste sentido seja o de Michael Dell.

>>Abri um negócio de assinaturas, e agora?

Antes de criar a sua famosa empresa de tecnologia, o empresário, quando mais novo, já tinha as suas primeiras experiências comerciais vendendo suas coleções de selos e cartões de baseball.

Podemos ver como o mercado de coleções traz uma oportunidade única de transformar um hobby em negócio. E você? Coleciona, já colecionou ou tem vontade de colecionar algo? Ou então, já pensou em montar um negócio neste segmento?