Como a receita recorrente ajuda sua empresa durante a crise

O que é receita recorrente

Também chamada de modelo de assinaturas, a receita recorrente baseia–se na venda de produtos ou serviços pagos mensalmente ou durante outro período de tempo. Geralmente, o serviço é ofertado com cobrança em que há ou não exigência de um prazo de vigência/fidelização mínima. Em alguns casos (cada vez mais raros), é cobrada multa referente ao cancelamento. A adesão ocorre de maneira simples.

São exemplos atuais os serviços oferecidos pelo Netflix e Spotify, que atuam no segmento de entretenimento cobrando planos sem vigência. O Netflix se baseou no modelo assinaturas, oferecendo a exibição de filmes, séries, documentários e demais produtos audiovisuais. A taxa de R$19,90 por mês foi responsável por desbancar empresas gigantes de locação de filmes em mídia física.

Investir em receita é se preparar para a crise

Basicamente, há duas formas de lucrar com receita recorrente: uma delas é desenvolvendo um produto e cobrando sua assinatura mensal e a outra é investindo nessas empresas. A vantagem de oferecer o produto e garantir a própria receita recorrente é ter o fluxo de renda constante ao invés de apostar no venda a venda.

Outro exemplo é o adotado pela Adobe, com o sistema Creative Cloud. Nele, o usuário tem acesso aos programas da empresa pagando uma taxa mensal, podendo ser, inclusive, na modalidade pré-paga. O serviço tem início a partir do pagamento inicial e se usar por apenas 14 dias, a empresa devolve 50% do valor pago.

É importante pensar em produtos que ofereçam ganho de tempo ou uma melhor gestão ao cliente que você já possui. A estratégia do produto deve ser baseada no público-alvo, considerando abordagens que também possam conquistar novos públicos. Pense em como se dedicar mais ao cliente, mudando a tradicional forma de vender o produto ou serviço.

Por que investir?

Com a equipe de vendas passando por dificuldades para cumprir sua meta, chega a hora de inovar. Talvez seja necessário repensar um produto ou serviço, aumentando ou diminuindo o portfólio. O ideal é identificar quais deles seus clientes pagariam mensalmente e desenvolver uma forma interessante para as duas partes. A médio e longo prazo, a receita acumulada será o suficiente para garantir o andamento das operações e absorver possíveis perdas.

É possível estabelecer metas escaláveis apenas com a receita recorrente. Vai chegar a um ponto que será possível considerá-la para pagar despesas importantes. Inicialmente, a meta pode ser a de sustentar as despesas, como dica.

economia da recorrencianto, tendo menos custos para manter o cliente. Considere também absorver possíveis perdas, pagar a estrutura, entre outras metas.

Se interessou pela ideia? A Vindi pode te auxiliar! Entre em contato conosco e conheça nosso serviço.

Fundador e CEO da Vindi, plataforma líder em recorrência e criador do maior evento de empresas SaaS e Assinaturas do país, o “Assinaturas Day”.

Você vai gostar também

Bom Atendimento A Exame juntamente com o IBRC (Insituto Brasileiro de Relacionamento com o Cliente) elaborou um ranking através de pesquisas e análises de reclamações...
Gigante do varejo de higiene e beleza entra para o... Na semana passada, escrevemos este post onde comentamos sobre o crescente mercado de clubes de assinaturas que vem ganhando atenção, inclusive, de mul...
O que a abertura de capital do Spotify tem a nos d... Está, literalmente, estampado nos sites de notícias que "secretamente" o Spotify pediu a abertura de IPO e aparentemente a empresa será listada direta...
Sabe quantas árvores você ajudou a salvar em 2016?... “N” motivos contribuem para que as empresas ofereçam pagamentos online: adesão do consumidor, facilidade, comodidade, melhor gestão e controle, reduçã...