Receba no seu e-mail as principais matérias publicadas no Blog Vindi

Category

Assuntos

Category

A chegada do verão é um ótimo impulsionador para incrementar o número de alunos na sua academia. Isso porque aquele peso na consciência com os excessos de fim de ano e a expectativa de férias geram uma certa preocupação nas pessoas. Mesmo com um cenário favorável, será que a gestão da sua academia está nos eixos para receber essas pessoas?

Preparamos uma lista com os pontos de atenção que você precisa ter em mente, confira:

  1. Alunos felizes trazem mais alunos

Muito além de manter os equipamentos em ótimo estado, sua equipe precisa estar afiada para atender bem em qualquer departamento. Preparar seu time para ter foco na experiência do usuário com certeza trará um incremento orgânico, pois uma pessoa satisfeita influencia amigos e familiares.

Uma ótima forma de medir a satisfação dos clientes é através de pesquisas periódicas. Além de criar uma base de dados para nortear o treinamento da equipe, é possível já detectar alunos que estão insatisfeitos e, o mais importante, com o que estão insatisfeitos.

  1. Mantenha seus equipamentos em dia

Ter um atendimento de qualidade é essencial, mas nenhuma parceria se mantém só com simpatia, né?

Por esse motivo, é super importante que sua infraestrutura esteja 100% para receber seus alunos. É essencial desenhar um cronograma para manutenções preventivas. Dessa forma, você zela pelo seu patrimônio e pela segurança dos seus alunos.

  1. Utilize ferramentas que facilitem a gestão da sua academia

Foi-se o tempo em que fazer o controle de alunos e de pagamentos em uma folha de papel era eficiente. Hoje, existem ferramentas que te auxiliam a ter o controle de quem frequenta sua academia e quem está em dia com o pagamento. É nesse ponto que nós da Vindi ajudamos as milhares de academias que trabalham conosco!

Através da plataforma, é possível entender de forma simples quem são seus alunos. Além disso, você descobre como está a sua taxa de inadimplência e automatizar as cobranças para ganhar tempo, assim você consegue investi-lo nos itens 1 e 2 😉

Quer fazer deste o melhor verão de todos? A gente te ajuda! Temos uma excelente equipe que está à disposição para tirar todas as suas dúvidas e ajudá-lo a preparar a gestão da sua academia para este projeto!

 

Manter um e-commerce dá trabalho. É preciso pensar em logística, marketing, relacionamento com o cliente e estratégias de venda. E, além de todas essas atividades, outro assunto deve ser acompanhado de perto pelos comerciantes: o chargeback.

Considerado um verdadeiro fantasma para as lojas virtuais, ele pode prejudicar o faturamento. E num cenário mais extremo, o chargeback pode até levar e-commerces à falência. Pois, diante de altos números de estornos, não há ganho com produtos ou serviços e há despesas com o processo de envio.

Neste texto, vamos explicar o que é chargeback, em quais situações ele ocorre e como você, e-commerciante, pode se proteger.    

Chargeback: o que é e como ocorre

O chargeback (em português chamado de estorno ou contestação) acontece quando uma compra online no cartão de crédito ou débito é cancelada. Normalmente porque o titular do cartão não reconheceu a compra em sua fatura. Ou, ainda, porque a transação desobedeceu às regras da administradora do cartão.

No primeiro exemplo, é comum que a pessoa entre em contato com sua administradora. E diante do pedido de devolução, a empresa faz uma análise da venda para decidir se o estorno deve ser feito ao cliente. Sendo assim, o valor não será repassado ao vendedor. E, se já tiver sido creditado, acontecerá o estorno.

Segundo a projeção da consultoria Euromonitor, em 2017, houve um aumento de 5,5% nas transações feitas por meio de cartões no Brasil. Sendo assim, o cartão de crédito ou débito já é uma das formas de pagamento preferidas pelos brasileiros. Por isso, os e-comerciantes precisam estar preparados, cada vez mais, para lidar com o chargeback.

Confira abaixo em quais situações ele acontece.

Como ocorre o chargeback  

Entre os motivos mais comuns que caracterizam uma contestação, vamos encontrar:

como evitar o chargeback

Não reconhecimento da compra

Ao se deparar com sua fatura, o consumidor percebe que não fez um dos pedidos listados. Com isso, ele vai entrar em contato com a administradora e solicitar o estorno.

Isso pode acontecer porque os dados do cartão foram roubados ou mesmo clonados. Porém, vale citar que quando o nome da loja virtual aparece diferente na fatura do cliente, há a possibilidade deste ser o motivo pelo qual ele não identifica o pedido.

Valores diferentes

Quando acontece um erro por parte da loja virtual ao fazer a cobrança do produto ou serviço. Nesse caso, se o preço correto era R$ 10, mas acabou sendo lançado R$ 1.000, o cliente solicitará o estorno.

Mercadoria não foi entregue

Se houve um problema de logística e o cliente não recebeu seu produto, o valor pago por ele será contestado para a administradora do cartão.

Má fé

Em alguns casos, o consumidor pode ter recebido seu produto e mesmo assim alegar que não, solicitando o estorno do valor para a administradora do cartão.

Nesta situação, o comerciante pode identificar o pedido que gerou esse tipo de chargeback, reunir documentos que provem que a entrega foi feita e tentar reverter o estorno.

Por que o chargeback é um risco?

O chargeback foi criado pelas administradoras dos cartões para proteger consumidores em compras online.

Porém, passou a assombrar os donos de lojas virtuais porque são eles que arcam com o prejuízo do estorno. Sendo que as operadoras não se responsabilizam pelos pedidos pagos em cartões, mesmo em caso de fraude.

E essa preocupação aumenta, pois, no Brasil a cada 33 pedidos feitos em e-commerces, um deles é tentativa de fraude, segundo estudo realizado pela Konduto em 2017.

Como se proteger

Se o chargeback faz parte de qualquer loja virtual, a melhor forma de lidar com ele e evitar grandes prejuízos é se protegendo.

1 – Faça análise de risco

O modelo de chargeback que provavelmente causa mais danos a uma loja virtual é o de fraude; como citamos acima em que o cartão do consumidor é roubado ou clonado.

E para lidar com essa situação, a maneira mais eficaz é contar com um antifraude. Pois ele terá inteligência para cruzar dados e identificar pedidos suspeitos. Reduzindo, assim, a chance de que pessoas mal intencionados consigam finalizar uma compra em seu site.

2 – Aposte no checkout transparente

Outro motivo que leva o cliente a não reconhecer uma compra feita em seu cartão é quando o nome do seu e-commerce aparece diferente na fatura.

Esse problema é bem frequente para quem utiliza intermediadores de pagamento (também chamados de subadquirentes). Então, para evitar o problema, aposte no checkout transparente e em plataformas que oferecem essa opção, como a Vindi.

Aliás, já escrevemos aqui no blog sobre “Checkout transparente: o guia prático para conversão, não deixe de ler!

3 – Reforce a segurança

Para diminuir as chances de chargeback, procure aumentar a segurança nas transações feitas pela sua loja virtual.

Talvez enviar códigos de verificação por SMS ou e-mail ajude a barrar ações de fraudadores em seu site. Analise e busque as soluções certas para o seu modelo de negócio.

4 – Conteste se precisar

Assim como o consumidor pode solicitar o chargeback, o comerciante também tem o direito de contestá-lo.

Por exemplo, se achar que um cliente está agindo de má fé ao dizer que não recebeu sua mercadoria. Então, reúna documentos que mostrem uma comunicação feita entre sua loja e o consumidor, além de provas que a entrega foi realizada, com o nome do recebedor.  

Informe-se com a administradora do cartão qual o processo de contestação de um chargeback para dar andamento.

Conclusão

O chargeback é mais um desafio que qualquer dono de e-commerce precisa lidar. Ele pode sim assombrar o seu e-commerce e os números de faturamento. Por isso, a melhor maneira de evitá-lo é estar preparado; entendendo como ele funciona, sabendo como agir ao recebê-lo, mas principalmente, usando as dicas de como se proteger, diminuindo, assim, os riscos.

É extremamente desafiador usar dados em qualquer tipo de negócio. Especialmente para empresas que crescem muito. Em SaaS, os desafios não não diferentes.

Existem muitas empresas (inclusive no modelo SaaS) se desafiando a ter uma gestão de dados eficiente. Algumas fazem dentro de casa essa gestão, outras conseguem modularizar integrando soluções ideais.

“Nós acreditamos em Deus, todos os outros devem trazer dados“, William Edwards Deming.

Juntar dados de CRM, ERPs, Billing, Customer Success e Atendimento vira um caos, dependendo da maturidade da empresa. Quero compartilhar uma experiência que estamos vivendo aqui na empresa.

Quem é o dono do dado cliente?

Essa é a primeira pergunta para empresas que querem começar a usar big data ou fazer uma gestão simples de dados. Os dados mais completos do seu cliente está aonde (em qual plataforma). A maioria das empresas sofrem para achar dados de clientes, eles costumam estar fragmentados em plataformas de marketing, financeiro, comercial e de retenção. E pior, não estão integrados. Cada área tem uma visão diferente de cliente.

Como melhoramos aqui?

Identifique qual plataforma irá centralizar todos os dados do cliente. Essa é uma decisão importante e difícil de tomar. Existe uma tendência forte no mundo do conceito Data LakeO conceito, difundido por James Dixon, sugere que você crie um “lago de dados” para usar ele depois, ou seja: será muito inteligente você criar internamente um Data Lake, recebendo dados de todas plataformas que usa para trazer e gerenciar clientes e à partir dele, usar os dados como preferir.

Aqui na Vindi construímos um Data Lake recebendo dados de:

  • Zendesk – Atendimento;
  • Vindi – Billing (sim, a gente obviamente usa a gente mesmo para cobrar);
  • Pipedrive (CRM de vendas);
  • RD Station – Inbound Marketing;
  • Sensedata (Customer Success);
  • Analytics e Ads (em estudo);
  • E estamos estudando outras ferramentas que usamos para colaborar com os dados.

O que a gente quer fazer com isso? Centralizar os dados de toda empresa em uma plataforma proprietária para decidir qual ferramenta usar e ter a autonomia de mudar a solução quando puder (e quiser).

Não vai existir uma solução única para a gestão de todos os dados. Importante ter isso em mente. Acredito que isso será sempre uma utopia. Vai precisar amadurecer bastante os times em termos de cultura de dados dentro da própria empresa. Usar bastante planilhas, testar ERPs, CRMs, provocar o uso de alguns dados, até ter a certeza do que quer fazer com os esses dados e como poderá usar eles a favor do negócio.

Mais importante que a ferramenta é ter cultura de dados. Lembre-se também que estamos com uma nova fase nessa era dos dados, por conta da GDPR.

* Update: Ah, fui provocado pelo Allan Sene (Data Minders) e pelo Vinicius Marino (Reviewr). Eles me lembraram do MetaBase, vale olhar. A gente usa aqui na Vindi.

Artigo publicado originalmente no QUORA.

A Black Friday se tornou uma das datas mais lucrativas para o e-commerce. Esse ano ela acontecerá no dia 23 de novembro. E para garantir seu faturamento durante a data, você deve se planejar, preparar-se tecnicamente e ter um plano de comunicação.

Para 2018, as previsões são positivas porque, segundo a Ebit, os comércios eletrônicos devem faturar cerca de R$ 2,43 bilhões na Black Friday. Sendo que esses dados representam um aumento de 15% em relação ao lucro do ano passado.

Além disso, a Ebit prevê que mais de R$ 4 milhões de pedidos serão realizados durante a Black Friday. Já em relação ao tíquete médio, as compras devem ficar entre pouco mais de R$ 607.

Tendências da Black Friday

Desde que chegou no Brasil, em 2010, a Black Friday passou a ser vista pelos consumidores como o momento perfeito para adquirirem itens com desconto.

Ainda segundo a pesquisa da Ebit que citamos acima, mais de 88% dos e-consumidores brasileiros pretendem fazer uma compra durante a data. E o melhor é que as lojas virtuais são um dos canais preferidos pelos consumidores. Pois, em 2017, 52% dos entrevistados pela Ebit escolheram comprar por meio de um comércio eletrônico.

Entre as principais categorias buscadas pelos consumidores na Black Friday estão:

  1. Eletrônicos
  2. Eletrodomésticos
  3. Smartphones
  4. Informática
  5. Moda e acessórios
  6. Cosméticos e perfumaria
  7. Casa e decoração
  8. Livros
  9. Brinquedos e games
  10. Esporte e Lazer

Como se preparar para a Black Friday

Agora que você já percebeu como a Black Friday é um evento estratégico que vai ajudar a aumentar seu faturamento e girar o estoque, vamos deixar abaixo três passos que vão ajudar a preparar seu e-commerce para essa grande data.

1 – Planejamento

Se você quer ter sucesso na Black Friday, o primeiro ponto é fazer um bom planejamento. Pois, é importante que você saiba quais produtos serão selecionados para serem oferecidos com desconto aos consumidores. É mais interessante aproveitar a ocasião para acabar com aqueles itens empacados no estoque ou aproveitar produtos com boa saída?

Além disso, é necessário cautela para definir qual será o valor da redução em cada item, sem que isso comprometa sua margem de lucro e também a sua credibilidade com o cliente. Só inclua artigos na Black Friday que você realmente possa oferecer bons descontos.

É, também, no momento do planejamento que você precisa pensar em logística. Já que o número de pedidos deve ser maior do que o normal e você precisa estar preparado para entregar as mercadorias na data prometida.

Negocie preços e decida regras

Ainda como parte da sua preparação para a data, tente negociar valores com seus fornecedores. Pois, são essas reduções que podem garantir uma melhor oferta ao cliente sem que você acabe perdendo com isso.  

Além disso, não se esqueça de definir, durante o planejamento, regras claras de troca de mercadorias. É importante que elas estejam disponíveis para os usuários consultarem facilmente. Isso também vai ajudar a aumentar o sucesso de suas vendas e evitar que a sua loja virtual acabe recebendo comentários e avaliações negativas.

2 – Tecnologia

Durante a Black Friday, o seu site vai receber uma quantidade de visitantes muito mais ampla do que em dias comuns. Por isso, é importante que a sua parte técnica esteja preparada para a demanda.

Teste a capacidade e a velocidade de seu servidor com antecedência, reduzindo as chances da sua loja virtual ficar fora do ar durante o grande momento de compras. Também é válido testar todo seu processo de compra, desde a busca por itens até o check-out. O importante é certificar-se que nada vai atrapalhar o consumidor de finalizar a compra.  

Formas de pagamento

Falando em check-out, uma das melhores maneiras de garantir mais vendas é oferecendo diversidade nas opções de pagamento.

Para a Black Friday, considere ir além do boleto bancário, ampliando as possibilidades de seu cliente, oferecendo cartões de crédito das mais variadas bandeiras, opção de débito em conta e até pagamento por meio de um mediador, como o PayPal.

Segurança

Com o alto volume de pedidos, seu e-commerce pode se tornar mais atraente para fraudadores. Por isso, é importante que você esteja preparado para identificar e barrar pedidos falsos.

Mas é necessário cuidado para não acabar cancelando boas compras com o medo de que sejam fraudes. O mais indicado nesse momento é contar com um parceiro especialista em segurança. Assim, você garante que as vendas em seu e-commerce vão ocorrer com tranquilidade durante a Black Friday.

3 – Comunicação

Do que adianta ter ótimos descontos para oferecer na Black Friday se os seus clientes não souberem disso? É aí que a entra o planejamento de comunicação, uma das principais etapas que vão garantir o sucesso de suas vendas.

Defina quais banners serão usados e qual texto é capaz de captar melhor a atenção dos consumidores. É válido fazê-los com antecedência, assim você garante que está transmitindo a informação correta ao seu potencial cliente.

Não se esqueça também do e-mail marketing, envie a sua base uma mensagem antes da data, avisando sobre as promoções. Uma boa estratégia é criar suspense e “fazer barulho” sobre a Black Friday em todos seus meios de comunicação. Assim você garante que mais clientes estarão esperando ansiosamente o grande dia.

Otimize

Depois que seu planejamento de comunicação para divulgar a Black Friday estiver pronto, vá além. Uma boa prática para otimizar seus esforços é pensar em criar um e-mail de abandono de carrinho. Sendo que ele pode ser enviado logo após um usuário deixar seu site sem comprar.

Além disso, outra estratégia que pode ajudar você a vender mais nessa data é criando retargeting. Essa ferramenta permite que você alcance antigos visitantes do seu e-commerce que acabaram não finalizando uma compra. Certifique-se de usar uma comunicação irresistível, assim as chances de que o consumidor decida comprar serão maiores.

Nesse texto, compartilhamos três passos que vão ajudar a deixar seu e-commerce preparado para vender mais na Black Friday. Agora é hora de colocar em prática, boas vendas!

O dia das crianças, comemorado em 12 de outubro, está chegando. Você já preparou seu e-commerce? Pois, as datas comemorativas são ótimas oportunidades no ano para aumentar suas vendas.

E as previsões são otimistas. Segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), o dia das crianças promete movimentar R$ 2,1 bilhões. Sendo que esse número aponta um crescimento de 4% em relação ao mesmo período no ano passado.

Além disso, até 12 de outubro a ABComm espera que sejam feitos cerca de 7,8 milhões de pedidos pelas lojas virtuais. Entre os produtos que mais buscados estão brinquedos, eletrônicos, moda e acessórios esportivos. Já o tíquete médio deve ficar em torno de R$ 277.

Para você faturar mais na data, separamos abaixo algumas dicas que vão tornar o dia das crianças uma brincadeira séria. Confira!

Prepare sua loja

Nem todos pais, padrinhos e tios já sabem o que comprar para as crianças. Por isso, a melhor forma de você ajudá-los nesta escolha é preparar a sua loja para a data.

Você pode organizar um ambiente dedicado aos produtos que seu e-commerce vende voltado para crianças. Por exemplo, se o seu comércio eletrônico é de games, separe os títulos mais amados pelos pequenos, colocando por faixa etária e até gênero.

Além disso, não se esqueça de colocar chamadas (também conhecidas como call-to-action) na primeira página de seu site.

O objetivo é facilitar que o seu consumidor encontre o presente certo para a data. Então, invista também na criação de um guia de presentes, cheio de sugestões com preços que cabem em qualquer bolso.

Crie e-mails superpoderosos

E-mail marketing continua sendo uma poderosa ferramenta para aumentar suas conversões. Então, você não deve esquecê-lo no dia das crianças.

Tente brincar mais no título, criar chamadas interessantes, além de um design criativo. Já que tudo vale na hora de incentivar seus consumidores a presentearem os baixinhos.

Aliás, não se esqueça de usar uma poderosa ferramenta de conversão em seu e-mail: o senso de urgência e escassez. Para isso, inclua palavras como “não perca”, “está acabando”, “agora” ou ainda “apenas X produtos”.

Sites de reserva de hotéis, como o Booking.com, são exemplos que trabalham muito bem a escassez.

Se você navegar pelas páginas de hotéis, caixas de diálogo dizendo “Uma pessoa acabou de fazer uma reserva neste hotel” ou “Restam apenas dois quartos” vão aparecer a todo momento, tentando criar uma ideia de que você precisa finalizar a reserva antes que acabe.

Então, inspire-se nessas táticas e inclua em sua comunicação para o dia das crianças.

Espalhe a festa do dia das crianças

Além do e-mail marketing, vale a pena brincar também nas redes sociais, como o Instagram e Facebook. Afinal, elas são ferramentas cada vez mais importantes para impulsionar vendas.

Você não precisa apenas divulgar produtos voltados para o público infantil, também é possível engajar sua audiência com brincadeiras. O dia das crianças é uma ótima data para incentivar a nostalgia entre os pais, tios e padrinhos.

Poste fotos dos seus colaboradores de criança, convide seus seguidores para fazerem o mesmo usando uma hashtag personalizada. Inove na divulgação porque ela vai garantir mais conversões para seu e-commerce.

Considere o frete

Se você trabalha com e-commerce, então sabe que um dos principais motivos que levam o consumidor a desistir do carrinho é o preço do frete.

Por isso, uma boa maneira de surpreender os compradores é eliminar o frete nas compras para o dia das crianças. Você pode usar a comunicação a seu favor e dizer que dessa vez o valor é por sua conta.

Agora, se eliminar totalmente o frete não for viável para seu orçamento, uma saída talvez seja isentar a taxa de entrega apenas para um valor mínimo de compras. Isso pode ainda incentivar os consumidores a comprarem uns presentinhos a mais em sua loja.

Facilite o pagamento

Além do valor do frete que citamos acima, outro motivo que pode afastar os clientes do seu e-commerce no dia das crianças são poucas opções de pagamento.

O cartão de crédito é um dos meios favoritos dos e-consumidores. Mas também é um diferencial você oferecer opções como débito em conta, boleto digital e até pagamentos por meio de subadquirentes.

Para isso, considere usar uma solução de pagamento que disponibilize diversidade aos seus clientes na forma de pagamento. E que além disso trabalhe com taxas justas, assim você economiza nas tarifas podendo oferecer mais vantagens para os consumidores.

Agora que você aprendeu dicas de como vender mais no dia das crianças, é hora de colocar em prática. Muitas conversões para você!

Ampliar as formas de pagamento que você oferece em sua escola é uma das melhores maneiras de atrair mais alunos, aumentar o número de matrículas e ver o nível de inadimplência cair.

Isso porque é preciso se adaptar às necessidades da nova geração, tanto de alunos ou como também de pais. Facilitando, assim, a adesão aos cursos que você oferece, sejam eles presenciais ou online, para crianças ou adultos.   

Neste texto, vamos falar sobre cada uma das formas de pagamento disponíveis e as vantagens para sua  escola.

Formas de pagamento para sua escola

Boleto bancário

O boleto bancário continua sendo uma das formas de pagamento mais oferecida pelas escola. Ele tem a vantagem de poder ser pago em qualquer lotérica, banco ou pela internet.

Além disso, é um meio que pode ser utilizado por qualquer pessoa, já que nem todo aluno ou pai possui um cartão de crédito ou trabalha com cheques.

Entretanto, é preciso ficar atento com as novas exigências da Federação Brasileira de Bancos (Febraban).

Boleto registrado

A ideia é que a partir deste ano, 2018, todos os boletos emitidos devem ser registrados. Ou seja eles precisam conter as principais informações de quem fará o pagamento, como:

  • Nome;
  • CPF ou CNPJ;
  • E endereço.

Com isso, a emissão de boletos ficou mais cara e é preciso que a instituição decida se vai arcar com o aumento ou repassar para os consumidores ao utilizar essa como uma das formas de pagamento.

Além disso, o boleto bancário demanda custos com a emissão. Sendo que as taxas do registrado podem variar entre R$ 5 ou R$ 6 por emissão.

Também precisamos citar que as escolas que optam por trabalhar com boleto bancário, precisam incluir o gasto com impressão. Pois, muitas dessas instituições ainda enviam à cobrança ao alunos pelos correios. Incluindo, assim, mais uma despesa: o valor de envio.

Boleto digital

Portanto, a melhor forma de inovar na cobrança por meio de boletos é adotando uma plataforma que faça o serviço de forma automatizada.

Desta maneira, é possível usar a cobrança recorrente em boleto. Isso quer dizer que você pode definir a periodicidade das cobranças e o sistema emitirá o boleto automaticamente.

Além disso, um sistema facilita a atualização da tarifa. Por exemplo, você pode cadastrar pré-tarifas de multas ou juros, assim quando o cliente abrir a fatura, o valor já estará atualizado.

Sem contar que o envio do boleto ao responsável pela mensalidade passa a ser feita por e-mail, sem depender de correios e pagamento de taxas. O boleto digital é a melhor maneira de continuar oferecendo essa forma de pagamento aos seus alunos e, ao mesmo tempo, economizar dinheiro.

Se você se interessou por esse método, entenda todos os benefícios de emitir boletos por meio de uma plataforma completa.

Cheques

Antigamente, os cheques e carnês eram as principais formas de pagamento para serviços de longa duração. Mas, os cheques têm caído em desuso cada vez mais porque os índices de devolução cresceram e isso traz dor de cabeça para as escolas na hora da cobrança.

Cartão de crédito

O cartão de crédito é uma das formas de pagamento mais utilizadas pelos brasileiros. Para escolas, principalmente aquelas que vendem pela internet, esse meio é o que vai garantir mais conversão.

Pois o processo de pagamento é rápido, diminuindo, assim, as chances de desistência do aluno antes da compra.

Além disso, o cartão de crédito é um ótimo aliado para ajudar a reduzir a inadimplência. O motivo é que a operadora do cartão garante o recebimento. Sendo assim, se o aluno ou responsável não pagar, a pendência não será com você, mas sim com a intermediadora do cartão.

Pagamento recorrente para escolas

Você já reparou como funciona a cobrança de serviços populares como a Netflix e Spotify?

Eles trabalham com a ideia de assinaturas, sendo que o cliente não precisa se preocupar em pagar uma fatura todo mês. Pois, por meio de uma plataforma, a cobrança é feita em seu cartão automaticamente.

Essa é uma das formas de pagamento que também pode ser adotada por escolas por meio do chamado pagamento recorrente e traz diversas facilidades para Gestão Escolar. Vamos entender melhor sobre o assunto logo a seguir.

O que é o pagamento recorrente

É um método que automatiza o recebimento das mensalidades. Por meio de uma plataforma de recorrência, cada aluno ou responsável têm suas informações de pagamento cadastrada, como valor da mensalidade e período que deve ser feita a cobrança.

A partir desse cadastro, o sistema fará a cobrança todo mês na data estipulado por você. Sendo que o débito no cartão de crédito acontece de forma automática

Oferecer o pagamento recorrente em sua escola passa a ser um diferencial, pois ele elimina a burocracia envolvida em cobranças.

Quais escolas podem usar o pagamento recorrente?

  • Escolas de ensino infantil, fundamental e médio;
  • Creches;
  • Escola no modelo e-learning;
  • Universidades e faculdades;
  • Escolas de idioma;
  • Cursos livres.

Não importa o modelo, segmento e até mesmo o porte. Desde de pequenas escolas até grandes instituições podem inovar nas formas de pagamento pelos serviços adotando o pagamento recorrente.

Benefícios do pagamento recorrente para escolas

Adotar o pagamento recorrente permite que você tenha um maior controle do seu caixa. Pois, você tem uma visão clara de quantos alunos já pagaram e quantos estão inadimplentes.

Além disso, é possível acompanhar a quantidade de cancelamentos e renovações que foram efetuadas até certo prazo e tomar atitudes rápidas para chegar à meta que você precisa.

Outra vantagem do pagamento recorrente para escolas é que você consegue praticamente eliminar aquela porcentagem de mensalidades atrasadas porque as pessoas esqueceram de pagar a fatura. Isso porque ao utilizar essa como uma das formas de pagamento a cobrança é feita de forma automática.

E o melhor de tudo é que o aluno ou responsável pode pagar pelo serviço sem que o limite do seu cartão de crédito fique comprometido. Pois com o pagamento recorrente é feito o débito mensalmente no cartão apenas do valor de uma mensalidade.  

Por exemplo, se o seu curso custa R$ 250, a cada mês acontecerá o débito no cartão de R$ 250. O pagamento recorrente não funciona como o parcelamento.

Benefícios da Vindi para escolas

A Vindi é uma ferramenta completa para escolas que querem diferenciar suas formas de pagamento, com grande experiência na cobrança recorrente. A plataforma hoje já atende desde universidades até escolas de idiomas.

Alguns do benefícios ao contratar a Vindi para gerir mensalidades são:

  • Controle total das mensalidades, matrículas e alunos;
  • Redução de custo com processos de cobrança de alunos;
  • Gerenciamento financeiro dos pagamentos recorrentes
  • Redução de inadimplências decorrente de férias;
  • Software online de cobrança de mensalidades;
  • Renovação automática de mensalidades;
  • Redução da inadimplência com a mensalidade recorrente.

Conclusão

Neste texto, abordamos as principais formas de pagamento que você deve oferecer em sua escola. Uma não precisa excluir a outra, já que quanto mais opções você tiver, mais chances terá de atrair e fidelizar alunos.

Contudo, é importante inovar processos por meio do boleto digital ou do pagamento recorrente, pois eles vão gerar grande economia para seu caixa. Com isso, sua escola pode investir na qualidade do ensino e da infraestrutura oferecidos.

Aumentar a eficiência dos processos institucionais é um dos principais benefícios de um Sistema de Gestão Escolar. Por isso, essa ferramenta é tão importante para o funcionamento de qualquer centro de ensino.

O setor da educação ainda caminha para a transformação digital, uma demanda indispensável para que escolas sejam capazes de atender as necessidades de aprendizado das novas gerações.

E quando falamos na administração, a necessidade de automatizar também faz parte do novo cenário em que vivemos. Escolas e instituições de aprendizado que não adotarem um Sistema de Gestão Escolar podem se deparar com grandes dificuldades.

Como não ter um controle financeiro assertivo e demora em ações quando os níveis de inadimplência estiverem altos. Além de ter processos longos de solicitação de documentos que acabam afastando alunos.

Por isso, neste texto você vai entender:

  • O que é um Sistema de Gestão Escolar;
  • Quais instituições devem contratar;
  • Os principais benefícios da tecnologia na administração.

O que é um Sistema de Gestão Escolar?

O Sistema de Gestão Escolar é uma tecnologia que permite automatizar os processos de uma instituição. Sendo assim, a administração fica mais fácil, pois as informações estarão centralizadas, podendo ser acessadas rapidamente.

É a maneira mais prática de acabar com pilhas de papéis. Além de integrar todas as áreas que fazem parte da gestão escolar: financeira, pedagógica, administrativa, comunicação e processos.

Vale dizer que um Sistema de Gestão Escolar precisa ser capaz de atender não só as demandas do gestor, mas também de professores, alunos e pais. Já que é essa integração que vai garantir a eficiência da tecnologia.

Quais instituições podem usar?

Não são apenas grandes Universidades e Colégios que podem se beneficiar do Sistema de Gestão Escolar. Qualquer instituição, seja de pequeno, médio ou grande porte vai se favorecer da integração de processos e rapidez.

Quem pode usar um Sistema de Gestão Escolar:

  • Escolas de ensino fundamental e infantil;
  • Escolas de ensino médio;
  • Creches;
  • Cursos pré-vestibular
  • Centros de ensino profissionalizante;
  • Escolas de idiomas;
  • Universidades e faculdades;
  • Centros de ensino livre – como dança, desenho entre outros.   

Se você quiser conhecer a lista dos 12 principais Softwares de Gestão, não deixe de acessar esse nosso artigo.

Principais benefícios do Sistema de Gestão Escolar

Atração e fidelização de alunos

Quando os processos gerenciais passam a ser automatizados, sua equipe pode dedicar mais tempo para focar no cliente, ou seja, alunos e pais. Melhorando, assim, o atendimento às demandas e aumentando a satisfação dos envolvidos.

Além disso, um Sistema de Gestão Escolar permite o armazenamento de importantes dados sobre sua instituição. Por exemplo, qual o perfil dos seus alunos, número de matrículas e quais regiões têm oferecido mais oportunidade de conversão.

Com esses dados em mãos, fica mais fácil enviar uma comunicação assertiva para pessoas que têm uma alta chance de se interessar pela sua escola. Além de permitir um contato mais próximo como os seus atuais alunos.  

Decisões baseada em dados

Outra grande vantagem de um Sistema de Gestão Escolar é que as suas decisões passam a ser tomadas com base em informações concretas e não “achismos”.

É possível ter uma visão geral da instituição. Ou seja, fica mais fácil fazer uma análise e descobrir se é preciso cortar o orçamento ou se, talvez, o planejamento da escola é que deve sofrer modificações.

Fazer esse levantamento sem a ajuda de um sistema pode demandar muito tempo, além de ser suscetível a erros.

Redução de custos

Quando a escola passa a usar um Sistema de Gestão Escolar, os processos são automatizados, sendo assim, os custos operacionais e com manutenção são reduzidos.

Além disso, o setor de contas a pagar é diretamente beneficiado com a utilização de um software, o que traz mais agilidade e menos erros. Vamos falar mais sobre Gestão Financeira no tópico a seguir.

Eficiência na Gestão Financeira

O setor financeiro é um dos mais importantes de qualquer instituição de ensino. Pois é ele que administra o fluxo de caixa.

E não importa o tamanho de sua escola, se não houver um controle rigoroso das movimentações financeiras, corre-se o risco de se deparar com dívidas e um volume muito alto de inadimplência.

Redução da inadimplência

Um Sistema de Gestão Escolar é grande aliado para combater a inadimplência.

Pois a automação oferece um panorama de quais alunos estão inadimplentes ou aqueles que ainda não pagaram a mensalidade mesmo com a data de vencimento próxima. Com isso, fica mais fácil agir de forma rápida e assertiva.

E precisamos dizer que inadimplência é um dos principais fantasmas da Gestão Escolar. Os números são cada vez mais alarmantes e sem uma ação rápida, sua escola pode até precisar fechar as portas.

Já falamos sobre as melhores formas de combater a inadimplência escolar aqui no blog, não deixe de ler.   

Integração com plataforma de pagamento

Mais uma das vantagens do Sistema de Gestão Escolar é a possibilidade de integrar com uma plataforma de pagamento completa, como a Vindi.

Assim, sua instituição pode reduzir custos com emissão de boletos em papel e adotar o boleto virtual. Além disso, outro grande benefício é a possibilidade de oferecer aos seus alunos a opção de pagamento com cartão de crédito, um dos meios preferidos pelos brasileiros.

O débito é feito automaticamente no cartão do responsável pela mensalidade, sendo que o limite do cartão não é comprometido, apenas o valor mensal.

Como você viu nesse texto, um Sistema de Gestão Escolar oferece diversas vantagens para as instituições. Sendo que ele pode ser adotado não apenas por grandes escolas, mas por qualquer estabelecimento de ensino que deseja reduzir gastos, melhorar a administração e ter uma gestão financeira profissional.

Omnichannel vem da junção das palavras omni (tudo) e channel (canal), ou seja, “todos os canais”. Mas o que isso significa para nós no contexto mercadológico? Basicamente, significa que omnichannel é a integração entre as lojas físicas e online, conectando todos os canais para o consumidor de uma empresa, a fim de estreitar os mundos offline e online a ponto de se misturarem.

No entanto, não podemos confundir com multichannel que também significa vários canais, mas não necessariamente estão interligados. O maior diferencial do omnichannel é a visão holística que ele traz do consumidor, ao cruzar suas informações entre todos os canais (loja física, redes sociais, email marketing…), que permite uma ação mais direcionada a ele.

Para o consumidor, a maior vantagem é a experiência de consumo propiciada e a conveniência de escolher qual canal lhe agrada mais.

Podemos ver um exemplo de sucesso dessa estratégia na Schutz e demais marcas do Grupo Arezzo, onde começou a ser implantada a partir de 2012. O objetivo era reduzir o número de reclamações dos consumidores. Antigamente, o índice era de 15% de descontentamento sobre os pedidos faturados. Agora, este número não chega a 1%.

Para ilustrar, trouxemos alguns exemplos muito interessantes e inovadores de estratégias omnichannel sendo implantadas atualmente.

AMAZON GO

É claro que a nossa lista começa com esta pioneira em inovações da atualidade. Conhecida como o supermercado do futuro, a Amazon Go permite que o consumidor compre seus produtos sem precisar passar por um caixa.

Ao entrar na loja, o consumidor se conecta no aplicativo da marca para entrar no supermercado e, através de informações cruzadas de sensores nas gôndolas e das muitas câmeras, o produto é computado no carrinho virtual de compras. Por fim, a conta é enviada ao app quando o consumidor sai do estabelecimento. Sem filas, sem caixas, sem nada. Simples assim.

SUPERMERCADOS EVERYWHERE

A ideia da Amazon é bem legal, mas quer ver mais conveniência? Tudo bem, o supermercado vem até você! Foi o que a rede de supermercados holandesa Jumbo fez em Utrecht. A empresa está colocando painéis com os produtos favoritos dos consumidores de lá. Para comprar, é só escanear o produto pelo app deles e ele é entregue diretamente em casa.

Algo muito parecido já foi feito no metrô da Coreia do Sul, em 2012, chamado Homeplus. No Brasil, temos o Mercode, que faz a mesma coisa em algumas estações de metrô em São Paulo.

O mais interessante dessa modalidade é que esse tipo de supermercado é 24 horas. No entanto, as entregas podem acabar chegando apenas no dia seguinte, se a compra for feita muito tarde.

EXPERIÊNCIA TAMBÉM É OMNICHANNEL

A Nike é conhecida por ser uma das marcas com maior engajamento e lealdade do consumidor. Isso ocorre porque ela foca muito na produção de experiência para o cliente. Utilizando a tecnologia, a Nike alia seu nome no dia a dia das pessoas.

Com o Nike +, a marca proporciona exclusividade em experiências esportivas, desafios e pessoalidade com atletas de verdade. Em troca, coleta dados mais precisos de comportamento de seus consumidores e aproveita para produzir conteúdos mais direcionados e uma experiência única nas lojas físicas.

 

Enfim… o nosso mundo está cada vez mais conectado. As pessoas estão conectadas (o tempo todo). E isso torna nebulosas as barreiras entre o real e o virtual.

À medida em que caminhamos para um futuro completamente omnichannel, torna-se uma necessidade o mercado também ser assim, não acha? Mas sempre lembrando de investir em boas tecnologias atreladas, como softwares de dados ou softwares de pagamentos eficientes (como o da Vindi), para a estratégia omnichannel ser um sucesso. Afinal, é onde os seus consumidores estão e o que eles querem.