Não é novidade que os boletos bancários são os meios de pagamentos mais comuns utilizados no Brasil e isto se deve a sua praticidade de emissão, facilidade de pagamento e segurança.

Mas apesar de sua popularidade, você sabia que existem duas modalidades de boletos? Ou seja, quem vai emitir tem a opção de escolher entre os boletos registrados ou sem registro. Acompanhe os detalhes a seguir e conheça as diferenças entre esses dois tipos de boletos.

Boletos registrados

A emissão de boletos com registro possui a necessidade da sua empresa enviar um arquivo remessa ao banco. Este arquivo tem a função de registrar o boleto junto ao banco, assim, a instituição financeira terá todas as informações da cobrança como valor, data de vencimento e código do boleto.

Normalmente os boletos registrados são utilizados no modelo de cobrança “Use-depois-Pague”. Assim, as empresas podem ficar mais protegidas em caso de não pagamento dos boletos, pois nesta modalidade os bancos cobrem automaticamente os atrasos e até mesmo realizam protestos em caso de inadimplência, onde o nome do cliente pode ir para os órgãos de proteção ao crédito, como SPC ou SERASA quando autorizado pelo cedente.

No entanto, esta modalidade de boleto acaba ficando um pouco mais cara, pois os bancos cobram uma taxa de registro por todos os boletos que forem emitidos.

Além disso, caso os boletos não sejam pagos pelo cliente, ainda existe a taxa de permanência do boleto no banco e quando se opta por não deixar o boleto no banco ou protestar o boleto, este deve ser baixado, o que não significa a sua quitação. Desta forma, a instituição financeira cobrará também uma taxa para a baixa do boleto.

Boletos sem registro

Os boletos sem registros, são aqueles que você mesmo emite e neste caso, os bancos só saberão da sua existência quando os boletos forem pagos pelo cliente. Normalmente este tipo de boleto é utilizado quando o cliente paga antes mesmo de receber e utilizar o produto ou serviço, ou seja, do tipo “pré-pago”.

A vantagem deste tipo de cobrança é que você não irá pagar as taxas de emissão, baixas e alterações dos boletos. Logo, a única taxa a ser paga será apenas quando o cliente pagar o boleto e o valor for creditado na sua conta.

Vale destacar que, com este tipo de cobrança caso o cliente não efetue o pagamento, as instituições financeiras não poderão cobrar, nem protestar as contas que não forem pagas.

Tanto os boletos com registro quanto os sem registro, apresentam as suas vantagens e desvantagens e neste caso, cabe a cada empresário decidir qual opção é a mais vantajosa para o seu negócio.

Mas seja qual for a sua escolha, contar com uma plataforma que permita emitir os boletos por e-mail em formato PDF, realizar a conciliação, calcular juros e multas e controlar todas as cobranças de forma automatizada poderá trazer maior agilidade e economia para o seu negócio.

Nós da Vindi somos especializados em pagamento recorrente e contamos com uma plataforma onde sua empresa poderá emitir boletos de maneira prática. Portanto, conte conosco!

E você, costuma emitir boletos registrados ou sem registros? Compartilhe conosco a sua experiência nos comentários.