3 coisas que você precisa saber antes de começar o pagamento recorrente

Também conhecido como ‘modelo de negócio de subscrição – é uma forte tendência que está conquistando seu ‘lugar ao sol’ e melhor, levando milhares de empreendedores a apostar todas as suas fichas – você oferece as opções de assinatura, atrai o cliente e estabelece uma rotina de cobrança programada.

Via de regra, você pode começar um negócio de assinatura e faturar sem precisar vender mensalmente qualquer tipo de software para seus clientes.

Itens de barbear, ração para cães e gatos, flores, vinhos e uma infinidade de produtos já entraram no ‘rol’ de produtos que são vendidos por assinatura e entregues no ‘conforto’ da casa do assinante, com a maior facilidade e comodidade.

Mas existem algumas coisas que você precisa saber antes de começar a utilizar o faturamento recorrente. Está preparado? Vamos lá então?!

1. Seu negócio precisa trabalhar com faturamento recorrente e, com alguma criatividade, ele pode

O ponto mais importante num serviço de assinatura é que seu produto e/ou serviço preciso se justificar. Ou seja, você oferece os planos de assinatura e em cada um insere uma vantagem embutida.

Aqui podemos citar um dos serviços de subscrição mais conhecidos nos mundo ‘Amazon Prime’, que já carrega no legado cerca de 40 milhões de assinantes.

Membros Prime têm direito a frete grátis, streaming de filmes e músicas, armazenamento limitado de fotos e vídeos e kindle livros. Apesar de nada disso ser ‘gratuito’, para quem está assinando, é uma verdadeira grandiosidade – direcionar a ideia que os produtos e/ou serviços disponibilizados são estão além do valor da mensalidade e que por isso vale a pena a subscrição.

Outro exemplo é o Doolar Shave Clube, serviço de assinatura destinado a entrega de produtos de barbear. Mensalmente, através de uma pequena mensalidade, clientes recebem na porta de casa um kit de barbear sem nem precisar sair de casa.

Mas vamos além de músicas, vídeos e kits de barbear, que tal pagar uma mensalidade para viajar por ai e ainda ganhar um monte de regalias, como estacionamento gratuito e check-in rápido? Sim, a empresa SurfAir está marcando os negócios da subscrição com a venda de assinaturas de passagens aéreas – uma taxa mensal o cliente entra no avião e não precisa se preocupar com mais nada – e ainda recebe uma série de bonificações. Fantástico não é?

Diante dos exemplos você deve estar se perguntando: qual a relação? E a resposta é simples: um modelo de assinatura trabalha para uma grande variedade de setores e todas as empresas podem aderir alguma forma de subscrição.

Mas todas as empresas podem trilhar um caminho de sucesso no faturamento recorrente? Claro. Vejamos um caso bastante peculiar: você assina um plano de alguns meses para receber meias e você pensa que após este período o cliente não vá mais querer continuar com a assinatura. Talvez sim. Talvez não.

Mas talvez haja um grupo seleto de apaixonados por meias que continuarão eternamente assinando seu produto.

Mas antes de decidir entre ter ou não um serviço de assinatura, cheque se há a possibilidade da sua empresa disponibilizar produtos e/ou serviços por meio da subscrição. Se você tem suporte para a cobrança recorrente.

Enfim, elabore um teste piloto e execute-o. Analise como o mercado se porta e corra para o sucesso! Se medo!

2. Negócio de assinatura não é tão fácil quanto parece – custa tempo e dinheiro

Um faturamento recorrente pode ser apenas algo passageiro, mas também pode ser um negócio amplo e duradouro. Muitos empresários engatam no serviço de assinatura esperando algo fácil e barato, mas a verdade é que não é bem assim.

Existem opções fáceis de lançar uma loja e receber os pagamentos online. Mas quando o assunto é faturamento recorrente, quando não realizado corretamente, pode ser um grande tiro no pé.

Até pouco tempo atrás criar um serviço de assinatura, que funcione atendendo as diversas opções de pagamento dos clientes e que ainda seja dedicado às necessidades de um terminado produto e/ou serviço tem sido um desafio.

A verdade é que custa tempo e dinheiro ter um faturamento recorrente – e você precisa ter os dois se quiser prosperar no mundo dos negócios de subscrição.

Aqui podemos citar o caso da empresa Le Tote, que tentou fazer cobrança por conta própria: os clientes poderiam alugar três peças de roupas e dois acessórios durante o tempo que quiserem, desde que que pagassem mensalmente.

Mas o grande problema: as opções eram limitadas e caras. E o pior: para construir toda a funcionalidade do site para que fosse possível gerar o faturamento recorrente, foram gastos alguns milhões de dólares.

Mas o mercado de empresas que oferecem e dão suporte as empresas que querem recorrer ao faturamento recorrente é vasto, e é por isso que nós, da Vindi, temos todas as soluções para sua cobrança recorrente.

3. Proporcione uma experiência e não apenas um monte de coisas para vender

Os mais bem sucedidos serviços de faturamento recorrente não estão apenas preocupados em vender seus produtos e/ou serviços, querem que a experiência de compra seja prazerosa e que o cliente se fidelize a longo prazo na subscrição.

As empresas devem focar a atenção em entender a jornada do cliente – desde as expectativas que ele têm antes de adquirir os serviços/produtos até as avaliações pós-assinatura e recebimento do que adquiriu.

É preciso levar em consideração todos os aspectos da oferta da empresa. Aqui podemos citar a KiwiCrate, artigos para criança.

A empresa, no próprio site, possibilita a sensação não apenas paras as crianças, mas também para os pais do que vão encontrar ao assinar os produtos. E a experiência proporcionada pela KiwiCrate é exatamente o que os pais estão procurando – descoberta, aventura, aprendizado.

E o melhor, os pais são convidados a entrar no mundo dos pequenos e aprofundar as relações. As caixinhas são enviadas mensalmente, são bonitas, fáceis de desempacotar e emocionantes para as crianças. Tudo é desenvolvido para gerar uma experiência inesquecível e incrível.

vindi

Ficou com alguma dúvida? Quer compartilhar conosco? Fique à vontade, estamos aqui para conversar. Deixe seu comentário nos campos abaixo!

Fundador e CEO da Vindi, plataforma líder em recorrência e criador do maior evento de empresas SaaS e Assinaturas do país, o “Assinaturas Day”.